Está aqui: Skip Navigation LinksInício / ADIC+ / Notícias / ADIC Notícias
ADIC Notícias 130 Notícias publicadas
       
Publicada a 01 de setembro de 2018 às 15:31h
Desde o início do mês de agosto que a ADIC conta com a presença diária de uma Fisioterapeuta e de uma Professora de Educação Física, que acompanham os nossos idosos de Centro de Dia e de Serviço de Apoio Domiciliário. Esta reabilitação, inserida no âmbito do Projeto AGA@4Life, do qual a nossa instituição é parceira, está ainda relacionada com a 2ª fase deste programa (Intervenção), agora na área da mobilidade. Esta tipologia de intervenção, com a durabilidade de aproximadamente 16 semanas, tem como objetivo principal a diminuição do risco de quedas, sendo que este é muito elevado nesta faixa etária dos séniores, e, por sua vez a prevenção do risco de fraturas. Incentivar os idosos à mobilidade, ao humor e à interação social é essencial para a sua estabilidade. Com técnicas relativamente simples, focadas nas capacidades de força e de equilíbrio, é possível aumentar a qualidade de vida e promover o envelhecimento ativo.


Publicada a 14 de agosto de 2018 às 11:01h
Decorreu no passado dia 8 de agosto, na sala de reuniões da Junta de Freguesia de Vilarinho, a cerimónia de assinatura do contrato de empreitada para a conclusão da construção do Novo Centro Social – Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário. Na cerimónia marcaram presença Colaboradoras da Instituição, Associados, representantes do Município da Lousã, da Junta de Freguesia, dos Bombeiros Municipais, da Misericórdia e Órgãos Sociais. Foi uma breve e singela cerimónia onde usaram da palavra além do presidente da Instituição Rogério Martins, alguns dos representantes das Entidades Convidadas. Foi adjudicado e assinado o contrato de empreitada com a empresa ALVAPE - Construção e Obras Públicas, Lda, pelo valor global de 1.097.129,15 €. O prazo de execução da empreitada é de dezoito meses a contar do auto de consignação dos trabalhos ou da data em que seja comunicado ao adjudicatário a aprovação do plano de segurança e saúde. Com a assinatura do presente contrato de empreitada pretende-se concluir a construção de raiz do Centro Social para dar resposta às suas diversas valências já existentes no âmbito do apoio social que presta em todo o concelho da Lousã e muito principalmente a criação de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosos (ERPI), com a capacidade para 39 residentes, Centro de Dia para 40 Utentes e Serviço de Apoio Domiciliário para 60 Utentes. A população alvo do novo Equipamento Social de ERPI (Estrutura Residencial para Pessoas Idosas), ou seja, a população da faixa etária com 65 anos ou mais no concelho da Lousã cifra-se em mais de 17% da população total. Sendo que a média nacional se encontra nos 21,4%. A taxa de cobertura das respostas sociais de apoio às Pessoas Idosas (centros de dia, lares de idosos e serviços de apoio domiciliário) cifra-se, em média, a nível nacional, em 12,9%, na Região Centro em 16% e mais concretamente na Lousã essa taxa cifra-se em 13,81, sendo que, ligeiramente acima da média nacional. Concretamente à resposta social de Lar (atualmente, ERPI) a taxa de cobertura média a nível nacional encontra-se nos 7,7%, enquanto no concelho da Lousã (Misericórdia, 80 camas) essa taxa é somente de 2,53%, sendo de 3,48%, se incluirmos a Casa de Acolhimento Sra. da Piedade (+40 camas), valor este manifestamente inferior à média nacional. No que diz respeito às respostas de apoio à população idosa, perspetiva-se um prosseguimento do crescimento da taxa de cobertura destes equipamentos e serviços nos próximos anos, considerando a capacidade atualmente ainda em construção. No entanto, o aumento persistente no topo da pirâmide etária da população portuguesa nas próximas décadas permite antever um decréscimo na cobertura de respostas sociais dirigidas à terceira idade. Estes dados evidenciam o carácter prioritário do desenvolvimento desta resposta social no concelho como forma de resposta às necessidades da sua população, principalmente a mais desprotegida e fragilizada. Dada a falta de cobertura e as carências locais prevê-se a total lotação do equipamento. A Direção com total sentido de responsabilidade e pautando sempre a gestão da Instituição e a conduta dos seus atos por uma total transparência, abaixo, em ficheiro PDF, disponibiliza cópia do contrato celebrado, para assim ser consultado por todos os interessados, nomeadamente os seus associados, amigos e beneméritos. AQUI poderá ver mais fotografias da cerimónia. A Direção


Publicada a 07 de agosto de 2018 às 10:57h
Vai ter lugar no próximo dia 8 de agosto, pelas 19h30m, na sala de reuniões da Junta de Freguesia de Vilarinho, a cerimónia de assinatura do contrato de empreitada para a conclusão da construção do Novo Centro Social – Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário.*Após concurso público, foi adjudicado à empresa ALVAPE - Construção e Obras Públicas, Lda, a execução da empreitada “Construção de uma estrutura residencial para pessoas idosas – Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário”, para o qual, irá ser assinado o respetivo contrato de empreitada, no valor da adjudicação de EUR. 891.974,92€ (oitocentos e noventa e um mil novecentos e setenta e quatro euros e noventa e dois cêntimos), ao qual acresce IVA à taxa legal de 23 % no valor de EUR. 205.154,23 (duzentos e cinco mil, cento e cinquenta e quatro euros e vinte e três cêntimos), perfazendo assim um valor global de EUR. 1.097.129,15 (um milhão e noventa e sete mil, cento e vinte e nove euros e quinze cêntimos). O prazo de execução da empreitada é de dezoito meses a contar do auto de consignação dos trabalhos ou da data em que seja comunicado ao adjudicatário a aprovação do plano de segurança e saúde.*A Instituição tem por objetivo principal o apoio do Idoso e da Criança. Tem ainda como objetivos a promoção, por todos os meios ao seu alcance e, sempre que possível e conveniente, em colaboração com outras entidades o desenvolvimento de atividades culturais, recreativas, desportivas e ocupacionais; o apoio escolar e/ou pré-escolar; o fomento inteletual, cultural e desportivo; a integração social e comunitária e o bem-estar global. Com a assinatura do presente contrato de empreitada pretende-se concluir a construção de raiz do Centro Social para dar resposta às suas diversas valências já existentes no âmbito do apoio social que presta em todo o concelho da Lousã e muito principalmente a criação de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosos (ERPI), com a capacidade para 39 residentes, Centro de Dia para 40 Utentes e Serviço de Apoio Domiciliário para 60 Utentes. A ADIC pretende concluir agora as obras de construção do seu novo Centro Social, onde já investiu, através de capitais próprios e de alguns donativos e ajudas, um valor muito próximo de meio milhão de euros. A construção deste edifício iniciou-se em fevereiro de 2009, mas inicialmente vocacionado para JI, CD, SAD e CATL. Face às elevadas carências na resposta social de Lar (ERPI) em 2011 a Direção decidiu reconverter o projeto para ERPI tendo iniciado todos os procedimentos, quer a nível do projeto de arquitetura quer da obtenção dos pareceres setoriais, ainda que só tenha tido as respetivas aprovações no decorrer do ano de 2012. O projeto da ADIC pretende ir de encontro às necessidades dos idosos em maior risco de perda de independência e autonomia que necessitam de um acompanhamento permanente, já que com as novas dinâmicas económicas e sociais, os idosos deixaram de ter a família como retaguarda para o seu cuidado. *LOUSÃ - O desafio social do envelhecimento O aumento das populações seniores face à diminuição da população ativa, associado à diminuição das taxas de mortalidade e de natalidade ao longo das últimas décadas, tem vindo a acentuar o envelhecimento da nossa sociedade. Assim, pelo contexto de elevado índice de envelhecimento e dependência em que se insere, este projeto é de extrema importância já identificada, nomeadamente pela CLAS de Lousã, no que concerne à falta de resposta de Lar de Idosos (ERPI) no concelho. A população alvo do novo Equipamento Social de ERPI (Estrutura Residencial para Pessoas Idosos), ou seja, a população da faixa etária com 65 anos ou mais no concelho da Lousã cifra-se em mais de 17% da população total. Sendo que a média nacional se encontra nos 21,4%. A taxa de cobertura das respostas sociais de apoio às Pessoas Idosas (centros de dia, lares de idosos e serviços de apoio domiciliário) cifra-se, em média, a nível nacional, em 12,9%, na Região Centro em 16% e mais concretamente na Lousã essa taxa cifra-se em 13,81, sendo que, ligeiramente acima da média nacional. Concretamente à resposta social de Lar (atualmente, ERPI) a taxa de cobertura média a nível nacional encontra-se nos 7,7%, enquanto no concelho da Lousã (Misericórdia, 80 camas) essa taxa é somente de 2,53%, sendo de 3,48%, se incluirmos a Casa de Acolhimento Sra. da Piedade (+40 camas), valor este manifestamente inferior à média nacional. No que diz respeito às respostas de apoio à população idosa, perspetiva-se um prosseguimento do crescimento da taxa de cobertura destes equipamentos e serviços nos próximos anos, considerando a capacidade atualmente ainda em construção. No entanto, o aumento persistente no topo da pirâmide etária da população portuguesa nas próximas décadas, permite antever um decréscimo na cobertura de respostas sociais dirigidas à terceira idade. Estes dados evidenciam o carácter prioritário do desenvolvimento desta resposta social no concelho como forma de resposta às necessidades da sua população, principalmente a mais desprotegida e fragilizada. Dada a falta de cobertura e as carências locais prevê-se a total lotação do equipamento. *Breve resenha sobre o Historial do projeto do novo CENTRO SOCIAL Possuir um espaço próprio, novo, moderno e funcional foi sempre um sonho da Associação.Instalada desde o início da sua atividade na antiga Escola Primária de Vilarinho, propriedade da Junta de Freguesia Local, foi inevitável a partir de determinada fase da sua existência, a descentralização dos serviços, atendendo à falta de espaço para dar resposta às crescentes solicitações. O “sonho e a necessidade” uniram-se e assim se deu início ao projeto que fosse ao encontro das necessidades e carências da nossa vasta Região.O primeiro passo foi a 24 de outubro de 2001 quando se adquiriu um terreno com cerca de 2.000 m2 no Outeiro – Vilarinho, numa área com vista e beleza deslumbrante, aliada a outros equipamentos sociais aí existentes. Nessa sequência, foi um enquadrar de diligências, surgindo meses depois o primeiro esboço no papel apresentado à Direção para debate e apreciação, dando um anteprojeto de arquitetura que foi aprovado em fevereiro de 2002, no Município da Lousã. Dado então conhecimento à Segurança Social de Coimbra, seguiram-se inúmeras reuniões nessa Entidade, alterando-se sistematicamente o plano de arquitetura, de acordo com as orientações dos técnicos responsáveis. Em julho de 2002 foi enviado oficialmente esse projeto para a Segurança Social a solicitar o seu parecer final e candidatura ao PIDDAC. Quando menos se esperava, tudo voltou ao início, “o projeto não foi aprovado”. Porque a necessidade era imperiosa, nasceu outro de imediato. Novamente arquitetado nos Serviços Técnicos do Município da Lousã redesenha-se com outra configuração, tendo sempre presente as orientações e exigências da Segurança Social. Após variadíssimas reuniões e, decorria o mês de março do ano de 2004, quando foi enviado à Segurança Social de Coimbra o novo projeto completamente reformulado. Este foi pensado para acolher crianças no rés-do-chão e idosos no 1º andar, tendo por seu lado uma cave para servir de estacionamento às viaturas. O edifício foi projetado para possuir uma área bruta de 2.156 m2. Entretanto, e novamente por imposição dos serviços técnicos do Organismo Estatal o projeto voltou a ser reformulado a fim de ser diminuída a área de construção, tendo para o efeito existido novas reuniões conjuntas. Até que, em novembro de 2005 e de acordo com as exigências da Segurança Social foi remetido o projeto completo e devidamente reformulado.Finalmente, em 20 de fevereiro de 2006 foi “aprovado”. Encontrando-se o projeto aprovado, a Direção da ADIC desencadeou, de imediato, todos os mecanismos legais no sentido de lançar a obra a concurso público.Pelo que, no decorrer dos meses de agosto e setembro de 2006, e por motivos imperativos de ordem financeira a obra foi a concurso, ficando limitada à fase de estrutura e telhado. Com dezenas de firmas concorrentes, a Conímbriga, Empresa de Construções, Lda. reuniu as condições que se exigiam, vencendo o concurso, apontando-se o arranque da obra daí a pouco tempo, graças ao financiamento disponibilizado pela própria Instituição para esta primeira fase de construção. A primeira fase de construção da obra «estrutura e telhado», iniciou-se finalmente em janeiro de 2009 e foi dada por concluída em novembro do mesmo ano. Com o desenrolar da obra e por conselhos técnicos avalizados a Direção achou por bem alterar alguns pormenores, sendo que estes seriam mais-valias para o próprio edifício, bem assim como mandou colocar tijolo em toda a área externa do edifício. Assim, o investimento global no que já se encontra construído ascende a um valor a rondar os € 500.000,00 (meio milhão de euros). Valor este totalmente suportado pela tesouraria da Instituição e por diversos donativos de pessoas e entidades diversos, destacando-se neste particular os Baldios de Vilarinho. Desde essa data, finais do ano de 2009, que a obra se encontra completamente parada por falta de financiamento.A situação estrutural pelo que passou o nosso País nos últimos anos o que provocou uma enorme regressão, a conjuntura económica que foi deveras grave. Além disso, com a recente construção de um novo complexo escolar na nossa freguesia, a cada vez menor taxa de natalidade e o envelhecimento progressivo da nossa Região, levou a que a Direção ponderasse seriamente reformular mais uma vez, e nesta fase por iniciativa própria, parte do projeto e sem grandes custos adicionais.Pelo que, no decorrer do ano de 2011 foi reformulado o projeto na parte do Centro Social que dizia respeito às crianças, passando agora a contemplar a resposta social de Lar, com capacidade para 39 camas.Após várias reuniões com a área técnica da Segurança Social esta última versão do projeto (Lar – com capacidade para 39 camas), mereceu Parecer favorável em 10 de novembro de 2011. Em suma, com este investimento pretende-se reunir todas as condições essenciais para englobar num único edifício as respostas sociais para seniores existentes na Associação, criar uma resposta social nova - ERPI com capacidade para 39 camas - e, assim, dar melhor resposta, condições e acolhimento aos seus atuais e futuros clientes/utentes.*No desenvolvimento da sua atividade, a Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã mantém relações privilegiadas com diversas entidades do concelho, além disso, a Associação detém acordos de Cooperação com o Instituto de Segurança Social para as respostas sociais de Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Jardim de Infância e Cantinas Sociais. A Direção


Publicada a 13 de julho de 2018 às 13:16h
A Direção da ADIC reunida no passado dia 20 de junho, após análise e discussão, por unanimidade, decidiu aprovar na integra a proposta do Júri do Concurso da empreitada para construção do novo Centro Social, despachando e ficando devidamente registado, em síntese, o seguinte: • Adjudicação da empreitada do novo Centro Social de Vilarinho ao concorrente ALVAPE —Construção e Obras Públicas, Lda; • Pelo valor global de 891.974,92 € (oitocentos e noventa e um mil novecentos e setenta e quatro euros e noventa e dois cêntimos), acrescidos de IVA à taxa legal em vigor, ou seja 23%; • Aprovação da minuta do contrato. Em breve tornaremos público a data da assinatura do contrato de adjudicação. A Direção


Publicada a 05 de julho de 2018 às 13:18h
Durante o mês de junho deu-se por concluída a 1ªFase do Projeto AGA@4Life, fase de Recolha de dados, através da realização de exames respiratórios, de análises sanguíneas, da medição da tensão arterial e de testes de avaliação cognitiva. No presente mês de julho já se deu início à 2ª Fase do Projeto – Intervenção, nomeadamente à realização de tratamentos terapêuticos na área de audiologia, duas vezes por semana, o que irá perfazer um total de 10 sessões para cada utente. A Avaliação Geriátrica Ampla (AGA) observa o idoso de forma integral, é uma análise multidimensional e multidisciplinar e tem por objetivo determinar as fragilidades do idoso, permitindo detetar alterações que vão para além do alcance de uma exame clínico tradicional. Deteta as deficiências, incapacidades e desvantagens que o idoso apresenta, de forma a traçar um plano de cuidados, acompanhamento e reabilitação a longo prazo. A AGA distingue-se, também, por colocar a tónica na avaliação da capacidade funcional do idoso e na sua qualidade de vida. (Filho e Kikuchi, 2012) “A relação de interdependência de conhecimento e sensibilidade para garantir que o cuidado prestado [está] embasado na visão sistémica do indivíduo” (Barbosa&Valadares, 2009:18) Este projeto corresponde a um desafio social de grande importância na atualidade, com expressão particular na área do envelhecimento ativo, autónomo e saudável. Reconhecemos a adequação e relevância das ações definidas no AGA@4life, realçando o seu contributo para a prossecução dos objetivos da nossa Instituição.


Publicada a 18 de junho de 2018 às 13:19h
Reconhecendo a relevância da atividade que a ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã tem vindo a desenvolver junto dos seus clientes, utentes e sociedade em geral, a Instituição é uma das seis potenciais instituições beneficiárias desta campanha no seu ano de lançamento. A Escola Profissional da Lousã apresenta este ano uma aplicação para plataformas móveis de cariz solidário - Martelário, pensada e criada para mobilizar a comunidade a participar ativamente na angariação de pontos a favor de uma instituição pública ou privada de solidariedade social. Com inspiração na iconografia da época, a aplicação para Smartphones desenvolvida em parceria com o Instituto Superior de Ciências Educativas do Douro (ISCE-Douro) consiste na simulação virtual das tradicionais “marteladas sanjoaninas” e dá ao utilizador a oportunidade de acumular pontos e ajudar uma entidade. Na prática, é dada possibilidade ao utilizador de interagir “fisicamente” com a aplicação que, com recurso a sensores de movimento do equipamento (giroscópio e acelerómetro), simula o movimento de um martelo. A acumulação de pontos é proporcional ao número de marteladas de cada participante que, aquando do registo, escolhe a instituição em prol da qual irá participar. No final, as três instituições com pontuações mais elevadas receberão prémios, em material técnico, no valor de 1.000, 500 e 250 euros, respetivamente. Período de contagem da Marteladas: quinta-feira, dia 21, a partir das 18h00m, terminando pelas 23h59 de domingo, 24 de junho. Em 2018, são seis as instituições a concurso: - ADIC - Associação de Defesa ao Idoso e Crianças da Freguesia de Vilarinho - ARCIL - Associação Para a Recuperação de Cidadãos Inadaptados da Lousã - ARCS Gândaras - Associação Recreativa, Cultural e Social das Gândaras - Associação Vida Abundante - Centro Paroquial de Solidariedade Social da Freguesia de Serpins - Centro Social de Casal de Ermio Martele por NÓS!!!!


Publicada a 14 de junho de 2018 às 17:52h
Foi no Dia de Portugal, que alguns pais se juntaram para enriquecer o exterior do nosso jardim de infância no âmbito do projeto Eco-escolas. Foi construido um estendal, um tanque e um poço onde vamos passar a fazer o aproveitamento da água da chuva. Agora é brincar, brincar muito e dar asas à imaginação. A Direção, a todos agradece


Publicada a 19 de maio de 2018 às 15:52h
No âmbito do Dia Mundial da Pastelaria, 17 de maio, a Pastelaria Casa do Pão aceitou o desafio de preparar e confeccionar broas e bolos com os utentes de Centro de Dia da ADIC. O requinte da conjunção dos sabores, a diversidade na apresentação e a estética cativante são características que distinguem esta Pastelaria e o seu modo de confeção. Este espírito criativo foi incorporado pelos nossos idosos que resolveram então “pôr a mão na massa”. O objetivo deste dia é celebrar a alegria de cozinhar doces, adoçando o nosso paladar e os daqueles que gostam de nós. O nosso lanche ficou mais saboroso com todos os doces que fizemos e trouxemos connosco. O nosso muito obrigada à Pastelaria Casa do Pão, nomeadamente à proprietária Sofia, que nos proporcionou esta experiência e este agradável palato!


Publicada a 24 de abril de 2018 às 17:26h
No âmbito do concurso público para a construção do novo Centro Social - Processo nº CP/1/2018, Anúncio de procedimento nº 1565/2018 – DR nº 54 de 16/03/2018, o Júri do Concurso apresentou à Direção dois pareceres a fim de serem apreciados, discutidos e decididos, a saber: - Parecer sobre os erros e omissões do caderno de encargos; - Parecer sobre a prorrogação de prazo. A Direção, em reunião realizada no passado dia 11 de abril, tomou conhecimento dos referidos pareceres e de toda a documentação anexa aos mesmos e, nos termos do disposto no artº. 64º do CCP, decidiu: - Aprovar todas as alterações dos erros e omissões identificados na lista anexa ao parecer do Júri; - Autorizar a prorrogação do prazo de apresentação de propostas para o dia 30 de abril de 2018, pelas 23h59m. – Foi deligenciado pela atualização da plataforma acinGOV e pela publicitação em anúncio, o qual foi publicado através do Aviso de prorrogação de prazo nº 556/2018, publicado no Diário da República n.º 73/2018, Série II de 2018-04-13. Consulte AQUI. Abaixo poderá consultar o ficheiro PDF do anúncio de prorrogação do prazo. A Direção


Publicada a 30 de março de 2018 às 18:53h
Destine 0,5% dos seus impostos liquidados e o reembolso do IVA suportado à ADIC e ajude assim a Instituição. Preencha o campo 1101 do Modelo 3 (rosto) com o NIF: 504 000 349. Clique AQUI para ver em vídeo o folheto institucional. No momento do preenchimento da declaração de rendimentos, poderá destinar 0,5% do IRS liquidado ou doar a dedução do IVA a uma instituição. Desde IPSS, entidades religiosas e pessoas coletivas de utilidade pública, incluindo as que têm fins ambientais e culturais. Isto é a consignação do IRS – também conhecida como consignação fiscal – e a escolha é sua. Sabia que pode doar 0,5% do seu IRS a uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), sem qualquer custo para si? Não pagará mais impostos, nem verá o reembolso do seu IRS diminuído por isso. A sua doação é retirada ao valor do imposto devido ao Estado. Ao preencher a sua declaração de IRS, indique o NIPC da Instituição, neste caso a ADIC, nif: 504 000 349, que deseja apoiar no quadro 11 do Rosto da Dec. Mod 3. Ao fazê-lo estará a ajudar e a ser SOLIDÁRIO. Assim, a ADIC Vilarinho apela a TODOS os contribuintes para consignarem 0,5% do seu IRS à Instituição. A totalidade dos impostos que pagamos destinam-se a financiar as despesas públicas do Estado sem nós decidirmos diretamente onde são aplicados. A única exceção existente é a possibilidade de destinar 0,5% do nosso IRS a uma determinada Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), de acordo com a regulamentação da Lei nº 16/2001, de 22 de junho. Esta consignação fiscal, não representa qualquer custo adicional para o contribuinte. A consignação de IRS não tem custos para o contribuinte. São 3.760 as IPSS que pediram e completaram as condições para poderem vir a beneficiar dos 0,5 % de IRS. Com total transparência e certeza afirmamos que a ADIC Vilarinho é uma dessas Instituições. Consulte AQUI a lista disponibilizada pela Autoridade Tributária. No ficheiro PDF abaixo, poderá abrir o mesmo e consultar a lista das 3.760 IPSS, se desejar procurar a ADIC, basta para isso clicar nas teclas Crt+F e escrever no campo que é aberto a palavra ADIC ou o nº de contribuinte. 504000349. Bem haja A Direção


Previsão metereológica
Parceiros & Apoios

A "ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã" agradece a todas as entidades e organizações que reconhecem e apoiam a sua actividade.
letterbee