Está aqui: Skip Navigation LinksInício / ADIC+ / Notícias / ADIC Notícias
ADIC Notícias 147 Notícias publicadas
       
Publicada a 26 de maio de 2019 às 16:38h
Possuir um espaço próprio, novo, moderno e funcional foi sempre um sonho da Associação. Tiveram reinício, no passado dia 15 de outubro de 2018, as obras no Outeiro, Vilarinho. Estas obras - 2ª fase -, é o culminar de um demorado e penoso processo, tendo sempre como principal objetivo a conclusão da construção de raiz do Centro Social para dar resposta às suas diversas valências já existentes no âmbito do apoio social que presta em todo o concelho da Lousã e muito principalmente a criação de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosos (ERPI), com a capacidade para 39 residentes, Centro de Dia para 40 Utentes e Serviço de Apoio Domiciliário para 60 Utentes. Prevendo-se, não havendo nenhum contratempo até lá, que para maio de 2020, o Centro Social da ADIC seja uma realidade. O novo Centro Social representará uma enormíssima mais-valia social para todos aqueles que já necessitam ou porventura venham a necessitar de apoio, designadamente na vertente de equipamento residencial para idosos, uma vez que, atualmente, são obrigados a procurar fora e longe da sua terra o apoio para as suas necessidades, carências e problemas. O projeto da ADIC pretende ir de encontro às necessidades dos idosos em maior risco de perda de independência e autonomia que necessitam de um acompanhamento permanente, já que com as novas dinâmicas económicas e sociais, os idosos deixaram de ter a família como retaguarda para o seu cuidado. No desenvolvimento da sua atividade, a Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã mantém relações privilegiadas com diversas entidades do concelho, além disso, a Associação detém acordos de Cooperação com o Instituto de Segurança Social para as respostas sociais de Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Jardim de Infância e Cantinas Sociais. Acompanhe AQUI, em imagens, o desenrolar das obras. A Direção


Publicada a 01 de maio de 2019 às 17:47h
Assinalando-se, em abril, o “Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância”, a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção de Crianças e Jovens (CNPDPCJ) apelou às CPCJ de todo o país, no sentido de contribuírem para a formação de Laços Azuis humanos, no dia 30 de abril. Abril, o " Mês da Prevenção e dos Maus Tratos na Infância", o nosso jardim juntou-se a esta causa, a convite da CPCJ da Lousã. Formando assim um laço azul humano. Serei o que me deres... que seja amor! História do Laço Azul (Blue Ribbon) A Campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) iniciou-se em 1989, na Virgínia, E.U.A., quando uma avó, Bonnie W. Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro “para fazer com que se questionassem”. A história que Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade que se revelaram “curiosos” foi trágica e sobre os maus tratos à sua neta, os quais já tinham morto o seu neto de forma brutal. E porquê azul? Porque apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul servia-lhe como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus tratos. A história de Bonnie Finney demonstra-nos como o efeito da preocupação de um único cidadão pode ter no despertar das consciências do público, em geral, relativamente aos maus tratos contra as crianças, na sua prevenção e na promoção e proteção dos seus direitos. Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó ao neto, expandiu-se e, atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que morreram como resultado de abuso infantil e como forma de apoiar as famílias e fortalecer as comunidades nos esforços necessários para prevenir o abuso infantil e a negligência. As fitas azuis correspondem a uma iniciativa de sensibilização e é uma oportunidade para nos lembrarmos da nossa responsabilidade coletiva e comunitária para a prevenção dos maus tratos. “O Azul funciona para mim como um constante lembrete/alerta para lutar pela proteção das crianças” Bonnie W. Finney


Publicada a 22 de abril de 2019 às 16:18h
A Direção da ADIC, dando cumprimento ao disposto no n.º 2 do Artigo 14.º-A do Decreto-Lei n.º 172-A/2014, a ADIC publicita, por esta via, as Contas do Exercício de 2018. Aqui poderá consultar e ler o documento na integra. Ou aqui poderá folhear o documento. Abaixo poderá consultar os ficheiros PDF`s A Direção


Publicada a 08 de abril de 2019 às 17:53h
Decorreu no passado dia 29 de março a assembleia geral da ADIC Vilarinho, a qual se realizou nas instalações da Instituição com a presença de 31 sócios. Alcides Martins - Saudou os associados, agradecendo a presença de todos, convidou à participação e de seguida leu a convocatória. Ponto 1 – Apreciar e votar o relatório e contas da Direção e do parecer do Conselho Fiscal, referente ao exercício de 2018. Ponto 2 – Novo Centro Social / Informações. Ponto 3 – Outros assuntos de interesse para a Associação. De seguida iniciou-se a Ordem de Trabalhos, assim: Ponto 1 – Apreciar e votar o relatório e contas da Direção e do parecer do Conselho Fiscal, referente ao exercício de 2018 » Relatório de Atividades e Contas do ano de 2018 O Presidente da Assembleia deu a palavra a Rogério Martins, Presidente da Direção da ADIC, para apresentar o relatório. Este documento foi apresentado em linhas gerais, sendo dito que ficava arquivado numa pasta da Secretaria da Instituição devidamente identificada. Antes, porém, foram distribuídas cópias aos sócios dos assuntos em apreciação e votação. Paulo Costa, Tesoureiro da Direção usou da palavra para explicar em traços gerais as contas do ano de 2018. Começou por referir que a Instituição mantém a sua situação financeira regularizada, com as Colaboradoras, Terceiros (Fornecedores, Clientes, Associados, Instituições Bancárias, etc) e com o Estado (Autoridade Tributária e Segurança Social). A Instituição contraiu um crédito bancário, junto do B.P.I., SA em 2017, no valor inicial de 20.000 € para a aquisição de uma viatura. Deste crédito, faltam pagar 2.312,17 €. Refere ainda que a Instituição não tem qualquer dívida em mora. Mais afirma que garantir o cumprimento de todas as responsabilidades da ADIC é um objetivo e uma realidade quotidianamente presente em todos os mecanismos de gestão e de tomada de decisão. Começando por explicar de forma minuciosa a generalidade das contas da contabilidade, afirma que os rendimentos totais registados em 2018 foram de 407.205,69 €, enquanto os gastos totais tiveram o valor de 400.828,44 €. Face aos valores expostos a Associação apresentou um resultado líquido positivo de Euros: 6.377,25 €. Mais informa e considerando que, com a adoção do SNC-ESNL as informações de natureza económica e financeira encontram-se explicadas com grande detalhe nas Demonstrações Financeiras, para o mesmo se remete a explicação da formação dos resultados líquidos. A finalizar diz que a ADIC possui a disponibilidade financeira no valor de 98.552,57€. Continuando, fala na obra do novo Centro Social, dizendo que arrancou em outubro de 2018, tendo nas contas apresentadas os valores até 31 de dezembro desse ano. Mas porque se está no final de março, os associados deverão saber que continuam a pagar à empresa mensalmente, porque os auto de medição são mensais, informando que pagaram até ao dia de hoje cerca de 92.000,00 euros. Outra informação que a Direção gostaria de prestar é que ainda não usaram o empréstimo bancário para efetuar pagamentos, servindo-se sempre da “conta solidária” criada para o efeito. No entanto, e a partir de hoje, porque essa “conta solidária” se extinguiu, irão ao empréstimo bancário. Não irão baixar a conta corrente da ADIC porque necessitam de ter “fundo de maneio” na gestão. - Alcides Martins colocou à votação o relatório e contas da Direção, referente ao exercício de 2018, tendo sido aprovado por unanimidade. Ponto 2 – Novo Centro Social / Informações Pela Direção é referido que a obra está a cumprir os prazos previstos, com a evolução normal. No presente estão a operar no espaço os técnicos do ar condicionado e eletricidade. As divisões estão construídas, percebendo-se já pela sua arquitetura a finalidade. Fazendo um histórico da obra, a Direção referiu ainda que no decorrer de 2018 foram aprovados pela Direção, os documentos do projeto, as peças do procedimento, programa do concurso e caderno de encargos. Foi, ainda, nomeado o júri do concurso, e elaborado todo o procedimento do registo da ADIC na INCM, com a publicação do competente anúncio de procedimento de abertura do concurso público, tendo sido acompanhado e decidido tudo sobre o desenrolar e normal tramitação do concurso público. Assim, no decorrer do ano de 2018, muito foi o trabalho invisível realizado pela Direção para que, atualmente, a obra de conclusão do novo Centro Social seja uma verdadeira realidade e a mesma esteja a decorrer dentro da normalidade, sendo certo que, com os imprevistos expectáveis para uma obra desta envergadura. Possuir um espaço próprio, novo, moderno, funcional e digno foi sempre um sonho da Associação desde a sua fundação. Assim, após oito anos, com a obra completamente parada por falta de financiamento, foi publicado no Diário da República n.º 54/2018, Série II de 2018-03-16, o Anúncio de Procedimento 1565/2018, sendo que o anúncio declarou aberto o procedimento do Concurso Público para a construção de uma estrutura residencial para pessoas idosas (ERPI), Centro de Dia (CD) e Serviço de Apoio Domiciliário (SAD). Sendo o valor do preço base do procedimento: 950.000,00 EUR. A Direção da ADIC reunida em 20 de junho, após análise e discussão, por unanimidade, decidiu aprovar na integra a proposta do Júri do Concurso da empreitada para construção do novo Centro Social, despachando e ficando devidamente registado, em síntese, o seguinte: • Adjudicação da empreitada do novo Centro Social de Vilarinho ao concorrente ALVAPE —Construção e Obras Públicas, Lda; • Pelo valor global de 891.974,92 € (oitocentos e noventa e um mil novecentos e setenta e quatro euros e noventa e dois cêntimos), acrescidos de IVA à taxa legal em vigor, ou seja 23%; A 8 de agosto, na sala de reuniões da Junta de Freguesia de Vilarinho, realizou-se a cerimónia de assinatura do contrato de empreitada para a conclusão da construção do Novo Centro Social – Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário. Foi adjudicado e assinado o contrato de empreitada com a empresa ALVAPE - Construção e Obras Públicas, Lda, pelo valor global de 1.097.129,15 €. O prazo de execução da empreitada é de dezoito meses a contar do auto de consignação dos trabalhos ou da data em que seja comunicado ao adjudicatário a aprovação do plano de segurança e saúde. A primeira fase de construção da obra «estrutura e telhado», iniciou-se em janeiro de 2009 e foi dada por concluída em novembro do mesmo ano. Assim, o investimento global no que já se encontra construído ascende a um valor a rondar os € 500.000,00 (meio milhão de euros). Estas obras - 2ª fase -, é o culminar de um demorado e penoso processo, tendo sempre como principal objetivo a conclusão da construção de raiz do Centro Social para dar resposta às suas diversas valências já existentes no âmbito do apoio social que presta em todo o concelho da Lousã e muito principalmente a criação de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosos (ERPI), com a capacidade para 39 residentes, Centro de Dia para 40 Utentes e Serviço de Apoio Domiciliário para 60 Utentes. Financiamento: Empréstimo bancário e escritura de mútuo com hipoteca Após todo o processo de consulta a diversas entidades bancárias, a Direção da ADIC, discutiu, analisou e decidiu que o Banco que melhor condição apresentou para o financiamento da conclusão das obras do novo Centro Social, ou seja, para a concessão do empréstimo hipotecário foi o Crédito Agrícola (CA). Todo o processo culminou a 10 de setembro, no Cartório Notarial de Vila Nova de Poiares, com a assinatura da escritura de mútuo com hipoteca, entre a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo Beira Centro C.R.L e a ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã. Pela referida escritura, a Caixa Agrícola (CA), concede à ADIC Vilarinho um empréstimo do montante de 1.000.000,00 € (um milhão de euros), pelo prazo de cento e oitenta meses, a contar da data da assinatura e nas condições estabelecidas no documento complementar e anexo e que faz parte integrante da escritura. O empréstimo foi/é concedido pelo prazo de 15 anos (180 meses), com início na data da assinatura da escritura. Foi estabelecido um período de carência de reembolso de capital de 24 (vinte e quatro) meses. O capital será reembolsado em duas parcelas, sendo que uma no valor de 750.416,09 (setecentos e cinquenta mil e quatrocentos e dezasseis euros e nove cêntimos) euros, será paga em prestações mensais e sucessivas, vencendo-se a primeira um mês após o referido período de carência de 24 meses, e cada uma das restantes no correspondente dia de cada mês subsequente e a outra parcela "bullet" no montante de 249.583,91 (duzentos e quarenta e nove mil e quinhentos e oitenta e três euros e noventa e um cêntimo) euros, que se vencerá e deverá ser paga no termo do prazo do empréstimo. Taxa de Juro: Euribor a 12M + spread de 2%. Pela presente escritura a ADIC constitui hipoteca a favor da Caixa Agrícola, sobre o imóvel de que é titular, situado no Outeiro, Vilarinho. A empreitada do Novo Centro Social teve efetivamente início no terreno (Outeiro) no passado dia 15 de outubro e o prazo de execução da empreitada é de dezoito meses. Tudo correndo dentro do previsto e não existindo qualquer atraso, perspetiva-se, que o novo Centro Social esteja concluído e entregue à ADIC em abril/maio de 2020. Ponto 3 – Outros assuntos de interesse para a Associação A Direção informou que já solicitaram orçamentos para os equipamentos para todo o edifício, onde se incluem lavandaria e cozinha. Salienta que no presente não serão para adquirir, servindo apenas para antever o investimento que a seguir se impõe, tendo em vista esclarecer de imediato a próxima Direção da realidade. Acentua que no presente a Direção não sabe quantificar o valor desse investimento, prevendo-se para muito breve esse conhecimento. O edifício irá necessitar de equipamentos para cerca de 2.000 metros quadrados, prevendo um custo muito elevado. Como foi dito em anteriores assembleias, o empréstimo bancário em curso vai cobrir apenas a obra do empreiteiro. Para equipar o edifício terá de se procurar novo financiamento. No fim do empreiteiro entregar a chave, quem cá estiver, o mais rápido possível deverá licenciar o edifício e torna-lo rentável, porque é preciso receita para pagar as prestações bancária, isso será determinante! Haverá muita responsabilidade. Aqui poderá ler ma integra o Relatório de Atividades e contas de 2019 Aqui poderá ver as fotografias da reunião Abaixo poderá consultar todos os documentos em formato PDF. A Direção


Publicada a 31 de março de 2019 às 21:35h
Destine 0,5% dos seus impostos liquidados e o reembolso do IVA suportado à ADIC e ajude assim a Instituição. Preencha o campo 1101 do Modelo 3 com o NIF: 504 000 349. No momento do preenchimento da declaração de rendimentos, poderá destinar 0,5% do IRS liquidado ou doar a dedução do IVA a uma instituição. Desde IPSS, entidades religiosas e pessoas coletivas de utilidade pública, incluindo as que têm fins ambientais e culturais. Isto é a consignação do IRS – também conhecida como consignação fiscal – e a escolha é sua. Sabia que pode doar 0,5% do seu IRS a uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), sem qualquer custo para si? Não pagará mais impostos, nem verá o reembolso do seu IRS diminuído por isso. A sua doação é retirada ao valor do imposto devido ao Estado. Ao preencher a sua declaração de IRS, indique o NIPC da Instituição, neste caso a ADIC, nif: 504 000 349, que deseja apoiar no quadro 11 do Rosto da Dec. Mod 3. Ao fazê-lo estará a ajudar e a ser SOLIDÁRIO. Assim, a ADIC Vilarinho apela a TODOS os contribuintes para consignarem 0,5% do seu IRS à Instituição. A totalidade dos impostos que pagamos destinam-se a financiar as despesas públicas do Estado sem nós decidirmos diretamente onde são aplicados. A única exceção existente é a possibilidade de destinar 0,5% do nosso IRS a uma determinada Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), de acordo com a regulamentação da Lei nº 16/2001, de 22 de junho. Esta consignação fiscal, não representa qualquer custo adicional para o contribuinte. A consignação de IRS não tem custos para o contribuinte. São 4.028 as IPSS que pediram e completaram as condições para poderem vir a beneficiar dos 0,5 % de IRS. Com total transparência e certeza afirmamos que a ADIC Vilarinho é uma dessas Instituições. Por isso, consulte a lista disponibilizada pela Autoridade Tributária. Seja Solidário!!! A Direção


Publicada a 17 de março de 2019 às 18:45h
AGA – Abordagem Geriátrica Ampla na promoção de um envelhecimento ativo e saudável implementação de um programa de intervenção integrado e multidisciplinar. O 1º Meeting aga@4live – Abordagem Geriátrica Ampla na promoção de um envelhecimento ativo e saudável, decorreu, no dia 9 de março, no Palácio da Lousã Boutique Hotel. A ADIC foi uma das entidades parceiras do Projeto AGA@4Life – Abordagem Geriátrica Ampla na promoção de um envelhecimento ativo e saudável – implementação de um programa de intervenção integrado e multidisciplinar. Este projeto, de qual a ADIC se tornou parceira, a par com o Instituto Politécnico de Coimbra (promotor), o Instituto Politécnico de Tomar (co-promotor), o Instituto de Castelo Branco (co-promotor) e o Município da Lousã (co-promotor), visa a promoção de um envelhecimento ativo e saudável através da implementação de um modelo de intervenção fundamentado na abordagem geriátrica ampla (AGA), incorporando também recursos endógenos da região, e promovendo a agregação da Geriatria no currículo dos ciclos de estudos das Ciências da Saúde. O modelo de AGA proposto assentou num protocolo de avaliação individual, de natureza holística e multidisciplinar, e consequente delineamento e implementação de estratégias de intervenção ajustadas a cada indivíduo, em articulação com os cuidados de saúde convencionais, visando a prevenção da fragilidade e do declínio funcional, cognitivo e social do idoso. As ações de intervenção centraram-se em programas personalizados de: exercício físico; educação nutricional; estimulação cognitiva; monitorização de co-morbilidades; aconselhamento fármaco-terapêutico; e promoção global do bem-estar. A ação estratégica do projeto teve como ambição principal a valorização da pessoa idosa, pela promoção da saúde e bem-estar, da independência e autonomia, da mobilidade e da oportunidade para contribuir na comunidade em que se insere. Assim: Envelhecimento ativo e saudável Visa a promoção de um envelhecimento ativo e saudável através da validação e implementação de um modelo de intervenção inovador, fundamentado na abordagem geriátrica ampla (AGA), incorporando recursos endógenos da região nos planos de intervenção, agregando elementos de inovação tecnológica decorrentes da criação de plataformas digitais de monitorização remota, e promovendo a incorporação da Geriatria nos curricula dos ciclos de estudos nas Ciências da Saúde num processo de valorização pedagógica desta disciplina. Áreas de Intervenção A ação estratégica do projeto tem como desiderato fundamental a valorização da pessoa idosa, pela promoção da saúde e bem-estar, da independência e autonomia, da mobilidade e da oportunidade para contribuir na comunidade em que se insere. Avaliação do Estado Global de Saúde A abordagem preconizada no modelo de intervenção AGA@4life integra uma avaliação holística e multidisciplinar, visando o mapeamento do estado de saúde dos idosos. Para esse efeito, é realizada uma bateria de exames, incluindo análises laboratoriais (sangue, saliva e urina), ecografia cardíaca, ecografia musculoesquelética e abdominal, avaliação audiológica e análise da onda de pulso, medição da pressão arterial e ritmo cardíaco. A adequação do perfil nutricional é avaliado mediante a aplicação de questionários, como o Mini Nutritional Assessment e o Questionário de Frequência Alimentar, e uma avaliação antropométrica e de composição corporal por bioimpedância. A avaliação de estilos de vida e história clínica são também recolhidos com base num questionário estruturado, que contempla dois questionários para caracterização do perfil de complexidade terapêutica individual e de adesão à terapêutica. Avaliação do Estado Funcional O modelo de intervenção AGA@4life agrega uma avaliação funcional abrangente, integrando aspetos como o equilíbrio e a mobilidade, a autonomia para as atividades da vida diária, a mensuração da fragilidade e a avaliação do risco de queda. Para este efeito, é aplicada uma bateria de testes funcionais, incluindo o teste Timed Up and Go, o teste 30 segundos levantar/sentar, o Step Test e o Modified 4 Stage Balance Test. São ainda utilizados o questionário de autoeficácia para exercício, o questionário de Perfil de Atividade e Participação relacionado com a Mobilidade (PAPM), e o questionário estruturado de Avaliação do Risco de Queda. Avaliação da Saúde Mental e Qualidade de Vida A saúde mental constitui uma dimensão crucial ao modelo de intervenção AGA@4life. Nesse sentido, é avaliada a função cognitiva com base na plataforma CANTAB (Cambridge Cognition) que disponibiliza um leque alargado de testes de avaliação das funções executivas, memória, coordenação sensoriomotora, entre outros. A depressão é avaliada pela versão portuguesa da Escala de Depressão Geriátrica, e a qualidade de vida pela versão portuguesa do questionário WHOQOL-OLD. Avaliação do Contexto Social e Ambiental O ecossistema onde decorre a via da pessoa idosa constitui uma dimensão de grande importância no suporte às necessidades individuais, e na facilitação da implementação de estratégias de promoção de um envelhecimento saudável. O modelo AGA@4life contempla a avaliação do contexto social através da caracterização do suporte social e familiar, com base na Escala de Redes Sociais de Lubben. As condições ambientais são avaliadas mediante a aplicação de uma checklist de segurança no ambiente domiciliar e dos espaços coletivos, e através da análise objetiva da qualidade do ar, níveis de ruído, temperatura e humidade. Intervenção Personalizada e Multidisciplinar O modelo de intervenção AGA@4life assenta num plano multidisciplinar e holístico, ajustado às necessidades individuais, identificadas na avaliação diagnóstica abrangente, e às expectativas da pessoa idosa. Esta intervenção visa acentuar a valorização da pessoa idosa, pela promoção da saúde e bem-estar, da independência e autonomia, da mobilidade e da oportunidade para contribuir na comunidade em que se insere. O modelo de intervenção AGA@4life compreende assim o desenho de planos adaptados de promoção da atividade física e funcionalidade, de prevenção de quedas, de otimização nutricional, de estimulação cognitiva, de treino auditivo e de promoção do bem-estar psicossocial. A implementação destes programas é feita de forma individualizada, por profissionais especializados nas áreas da Fisioterapia, do Desporto, da Dietética e Nutrição, da Audiologia, da Psicologia, da Fisiologia Clínica, da Saúde Ambiental, da Imagem Médica e Radioterapia, das Ciências Biomédicas Laboratoriais, da Farmácia, da Educação para a Saúde e do Serviço Social. Plataformas Tecnológicas no Modelo AGA@4LIFE O modelo AGA@4life é desenvolvido num ecossistema com uma forte componente de aplicação tecnológica. O projeto integra assim atividades de desenvolvimento e aplicação de tecnologias inovadoras de monitorização biométrica, que possibilitam a medição de diversas variáveis clínicas e ambientais de interesse, particularmente relevantes para o acompanhamento do idoso no seu lar (promoção do independent-living) e na aplicação dos programas de exercício físico adaptado. A componente tecnológica de monitorização biométrica no domicílio é desenvolvida em colaboração com o Instituto Politécnico de Tomar, em articulação com o Projeto VITASENIOR, que pretende fornecer um dispositivo concentrador (VITABOX) que interage com diversos equipamentos médicos, fazendo a recolha de parâmetros fisiológicos do utilizador, e ambientais do lar, de forma transparente, disponibilizando-os na Cloud. Durante o evento foram apresentados os resultados obtidos no Projeto, bem como expostas algumas soluções tecnológicas que o acompanharam. Das várias sessões, que tiveram inicio a partir das 9h30m, destacamos a Conferência Aberta à comunidade “ os desafios do envelhecimento numa sociedade em mudança” a qual foi proferida por Maria João Quintela, médica gerontóloga. A ADIC orgulha-se de ter estado presente neste consórcio e agradece a todas os seus Utentes e Colaboradoras que nele participaram ativamente.


Publicada a 17 de março de 2019 às 18:27h
Na preparação da Assembleia geral que se irá realizar no próximo dia 29 de março de 2019, pelas 20 horas, no Centro de Dia de Vilarinho (sede da Instituição), a Direção da ADIC disponibiliza a todos os seus associados e público em geral toda a documentação que irá ser apreciada, discutida e votada pelos seus sócios na referida reunião. Nos PDFs abaixo poderão ser consultados o Relatório de Atividades e Contas referentes ao exercicio de 2018, bem assim como todos os documentos contabilisticos que foram suporte do referido relatório. A Direção


Publicada a 10 de março de 2019 às 20:18h
Vai ter lugar no próximo dia 29 de março de 2019, pelas 20:00 horas, no Centro de Dia de Vilarinho, a assembleia-geral ordinária da ADIC, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apreciar e votar o relatório e contas da Direção e do parecer do Conselho Fiscal, referente ao exercício de 2018. 2. Novo Centro Social / Informações. 3. Outros assuntos de interesse para a Instituição. Se, à hora acima indicada, não estiverem presentes mais de metade dos associados com direito a voto, nos termos do art.º 35º, nº 6 dos Estatutos, a Assembleia reunirá uma hora depois, com qualquer número de sócios presentes. Oportunamente, serão aqui disponibilizados - www.adic.pt - todos os documentos que irão ser submetidos a apreciação e a votação dos associados. Abaixo poderá consultar: - Convocatória A Direção


Publicada a 06 de fevereiro de 2019 às 17:49h
Dia 16 de fevereiro a Brigada Verde do Jardim de infância, estará no Talasnal, para fazer limpeza a esta linda aldeia de xisto. Ficaremos também a conhecer a história desta aldeia, contada pelos anfitriões, da empresa "Montanhas de Amor". Teremos a eng.ª florestal Susana Moita, que nos falará dos cuidados a ter com a floresta. No final haverá um almoço partilhado, com música ao vivo a cargo dos artistas Luís Pedreira e Mariana Pedreira.


Publicada a 04 de dezembro de 2018 às 22:48h
Decorreu no passado dia 30 de novembro, pelas 21 horas, no Centro de Dia, com a presença de trinta associados a assembleia geral ordinária da associação. … novo Centro Social, a obra arrancou em outubro de 2018 e avançará por todo o ano de 2019, perspetivando-se que esteja concluída em abril/maio de 2020. *Quanto ao 1º ponto da ordem de trabalhosApreciar e votar o orçamento e programa de ação para o ano de 2018, bem assim como o parecer do Conselho Fiscal – cfr. art. 32º alínea e) dos Estatutos.Usou da palavra o presidente da Direção Rogério Martins que de uma forma resumida apresentou aos associados o programa de ação para 2019 e teceu alguma considerações sobre o mesmo, designadamente:Que o Programa de Ação da ADIC é um documento de gestão estratégica, que especifica o rumo de ação da instituição, com vista ao cumprimento da sua missão, tendo por base o seu percurso histórico e as suas potencialidades/recursos financeiros.Com o nosso exemplo, pretende-se ajudar a economia social da nossa Região a desenvolver-se e a assumir novos desafios em ordem a torná-la cada vez mais incontornável na nossa vida coletiva. Pretende-se que a ADIC Vilarinho mantenha a sua atenção para com as necessidades das pessoas, numa dinâmica de proximidade e de trabalho em rede com entidades públicas e privadas, favorecendo desta forma o desenvolvimento da comunidade de uma forma integrada e completa.Neste contexto, e indo de encontro aos princípios, valores e objetivos que definem o projeto da ADIC, o grande e primordial objetivo estratégico da ADIC é concluir o novo Centro Social e assegurar a sustentabilidade económica, financeira, ambiental e organizacional de toda a Instituição.Além deste enorme desígnio a Direção pretende manter todas as suas atuais respostas sociais em pleno funcionamento, dentro das conhecidas limitações físicas dos equipamentos existentes.Rogério Martins abordou ainda cada uma das respostas sociais, tendo elencado o que se propõe para o próximo ano, acrescentou ainda que a ADIC vai continuar a cumprir com o protocolado com a Segurança Social, a nível dos acordos, e, vai sempre, tudo fazer para continuar a honrar todos os seus compromissos sejam eles de que natureza forem, designadamente os financeiros.Relativamente ao novo Centro Social, a obra arrancou em outubro de 2018 e avançará por todo o ano de 2019, perspetivando-se que esteja concluída em abril/maio de 2020, por isso vamos estar fortemente empenhados em que tudo corra dentro do planeado e projetado.Finalmente, disse que sem o apoio de todos em geral e em particular dos Baldios de Vilarinho a ADIC nunca teria chegado onde se encontra e, acima de tudo não teria projetado o futuro com esperança e com um fortíssimo investimento como este que se está a realizar no presente. Que a Direção da ADIC vai continuar atenta e vigilante ao desenrolar dos problemas sociais que nos envolvem e não hesitará em reforçar as medidas que agora prevemos ou recorrer a outras, caso a situação assim o recomende.Seguidamente usou da palavra o tesoureiro Paulo Costa, que muito sinteticamente apresentou o orçamento aos associados, destacando: Total dos Rendimentos Previsionais - 412.300,00 €; Total dos Gastos Previsionais - 409.798,34 €; Resultado Líquido Previsional - 2.501,66 €.Referiu ainda que se prevê um Investimento para 2019 (… % do valor estimado para a conclusão da construção da nova sede), no valor de 600.000,00 €.Esclareceu ainda todos os associados que o Protocolo com os Baldios de Vilarinho está a ser devidamente cumprido por ambas as partes. O CD dos Baldios de Vilarinho já transferiu o subsídio referente aos anos de 2017 e 2018 (30.000 € + 30.000 €) e que a ADIC espera e conta com o subsídio para o ano de 2019.Que a ADIC está a registar e a cumprir com todas as normas contabilísticas desses valores. A totalidade dos subsídios está reconhecida na conta 5931 – C. D. Baldios dos Lugares da Extinta Freguesia de Vilarinho – 450.000 € (ver contas do exercício de 2017). Como o subsídio anual atribuído à ADIC pelos Baldios tem um destino específico, que é a construção do novo Centro Social, os ganhos, as receitas desses valores (30.000 € x 15 anos) só poderão ser reconhecidos nas contas e nos orçamentos quando o edifício começar a ser amortizado, quando o edifício estiver em funcionamento.*Lido que foi aos associados o parecer favorável do Conselho Fiscal, pela mesa foram os documentos colocados à consideração e votação, tendo o programa de ação e orçamento para 2019 sido votado favoravelmente, por unanimidade. *Passou-se ao ponto nº 2 da ordem de trabalhos:Informar do ponto de situação relativamente a todo o processo de financiamento e de construção do Novo Centro Social de Vilarinho.A Direção deu aos associados todos os esclarecimentos disponíveis. Respondeu ainda a todas as solicitações e dúvidas. *Seguidamente discutiu-se o ponto nº 3 da ordem de trabalhos:Deliberar e aprovar os regulamentos internos, designadamente o Eleitoral e Disciplinar – cfr. Art.º 32º, n.º 1, alínea K, dos Estatutos.Pela Direção foram apresentadas projetos de Regulamentos internos, designadamente Eleitoral e Disciplinar.Com a publicação do Decreto-Lei nº. 172-A/2014, de 14 de novembro, e da Lei nº. 76/2015, de 28 de Julho, que alteraram a redação do Decreto-Lei n.º 119/83, de 25 de fevereiro, regulador dos Estatutos das IPSS, foi preciso ajustar os Estatutos em conformidade, e, em consequência, elaborar também os Regulamentos Eleitoral e Disciplinar.Assim, perante a importância e a natureza específica da matéria tratada de forma genérica nos Estatutos, os Regulamentos passarão a constituir instrumentos complementares da organização e dos procedimentos a observar.Após análise e discussão, os Regulamentos – Eleitoral e Disciplinar – foram colocados à votação e foram aprovados por unanimidade dos associados. AQUI poderá visualizar as fotos da assembleia. A Direção


Previsão metereológica
Parceiros & Apoios

A "ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã" agradece a todas as entidades e organizações que reconhecem e apoiam a sua actividade.
Morada
ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã
Rua Senhora das Preces, nº 4, Vilarinho
3200-407 Lousã

Coordenadas GPS
Centro de Dia
Lat. 40° 7'27.90"N
Long. -8°12'53.86"W
Jardim-de-infância
Lat. 40° 7'30.60"N
Long. -8°12'57.92"W
Centro Social
Lat. 40° 7'31.58"N
Long. -8°12'56.10"W
letterbee